Gabriela Pinheiro, “stylist” de famosas, partilha dez conselhos práticos para encontrar o “look” ideal.

Se quer mudar a sua imagem ou simplesmente renovar o armário, reunimos dez dicas que tem de seguir para encontrar um estilo que lhe assente como uma luva:

1. Valorize a roupa interior

Esta é uma das regras de ouro do styling para Gabriela Pinheiro. “Aquilo que não se vê é tão importante quanto aquilo que se vê”, escreve em O Meu Livro de Estilo.

“A lingerie não é para estar à vista (apenas quando faz parte do outfit) porque causa um foco de tensão. Basta ter as alças do sutiã a sair — mesmo que sejam aquelas transparentes — que, por muito bonito que seja o conjunto, só se vai destacar esse defeito”

“Há cada vez mais marcas a lançarem lingerie invisível que não tem aros nem costuras, cuecas modeladoras e meias push-up que nos ajudam a moldar o corpo e a compor a silhueta. Aposte em lingerie adequada à roupa que usa porque uma cinta, por exemplo, pode mesmo fazer maravilhas e marcar mais a cintura.”

2. Limpe o seu guarda-roupa com três montes de roupa

Respire fundo e divida o guarda-roupa em aquilo que já não veste há um ano, aquilo que veste todos os dias e aquilo que já não veste há mais de três anos.

“Sou apologista que devemos ter menos peças no armário, só aquelas que vestimos”, diz Gabriela Pinheiro.

“A primeira coisa que precisa de interiorizar é que pode ter cem peças de roupa mas, se só usa cinco ou seis, o que estão lá a fazer as outras 95?”, pergunta. Daí que seja tão importante que o roupeiro esteja limpo e organizado para estimular a criatividade.

“Aconselho a só guardar as peças de festa que não passam de moda tão rapidamente, as peças em bom estado que veste sempre e as peças com mais de três anos que tenham potencial ou valor sentimental.” O resto? Doe.

3. Olhe para os básicos: vai precisar deles

“Estas são as peças seguras, os amigos que nunca dececionam, a roupa que nunca nos deixa ficar mal. Selecione os seus básicos e invista neles”, avisa a stylist de celebridades como Cláudia Vieira e Diana Chaves.

Mas que básicos são estes?

“Para mim, existem 12 essenciais: a camisa branca, o blazer preto, os tops de alças finas (em branco e preto), o trench coat, os sapatos de salto alto preto, os sapatos Oxford, os ténis brancos em pele, as calças pretas, a t-shirt branca, o sobretudo e uma boa carteira em pele.”

Segunda a autora, estes básicos de qualidade nunca passam de moda e servem de base para formar combinações e encontrar o seu estilo pessoal. Só depois vêm as tendências.

4. Ajuste a roupa ao seu corpo e mande-a arranjar

No meio do monte de roupa que veste sempre, escolha as suas peças favoritas. São estas que vai ter de organizar e pôr em destaque para montar os conjuntos do dia a dia.

“Comece por verificar se estão em bom estado e, se não estiverem, mande-as arranjar, sempre que possível, ou limpar. As limpezas fazem milagres, dão uma vida nova a uma peça de roupa que parecia demasiado gasta, coçada ou maltratada”, avança Gabriela Pinheiro no livro.

Por outro lado, se comprou uma roupa que não lhe assenta como uma luva, faça ajustes. “Nunca deixe perceber que aquela peça não foi feita para si, sugiro que arregace as mangas ou as calças, suba a bainha ou faça apertos.”

5. Aposte numa peça forte de cada vez e evite logótipos

“Olha-se mais depressa para uma pessoa mal vestida do que para uma pessoa bem vestida”, afirma Gabriela Pinheiro. Daí que deva usar uma peça forte de cada vez e manter o resto do look mais sóbrio para evitar um conjunto demasiado carregado. “O mesmo se aplica às peças vintage que devem ser conjugadas com uma peça mais moderna.

Se usar todas as peças antigas em conjunto pode parecer que vai para uma festa temática e não é esse o objetivo”, remata a autora.

Ah, e também deve evitar logótipos demasiado visíveis. A única exceção são os logótipos personalizados.

6. Pesquise tendências e faça uma lista de compras

Depois de limpar o roupeiro, pesquise tendências e procure inspiração.

“Visite os seus blogues preferidos, divirta-se nos slideshows das revistas de moda e reúna toda a informação. É importante centrar-se nas peças de que realmente gosta, com as quais se identifica. Não vale a pena insistir numa roupa que, por muito que esteja na moda, não tem nada a ver consigo”, aconselha a stylist.

De seguida, faça uma lista das peças e tendências que gostaria de comprar para evitar compras impulsivas.

“As lojas conduzem a compras por impulso e é muito fácil gastar dinheiro em roupa que no manequim e num blogue tem um aspeto e, em si, terá outro. Experimente e, na dúvida, não leve.” Em último caso, devolva.

7. Crie o seu próprio showroom e tire fotografias aos conjuntos

“Bebendo da inspiração dos outros, podemos encontrar o nosso estilo. Quando chegar a um conjunto criado por si que realmente a inspire, a faça sentir bem, tire uma foto! Guarde-a e dentro de pouco tempo terá o seu próprio inspiration board com imensos conjuntos em que mistura o novo com as peças que já tinha.” Depois pendure as combinações que criou num cabide com os acessórios ao lado. Eis o seu próprio showroom ao qual pode recorrer quando tem pouco tempo para pensar no que vestir.

8. Use e abuse dos acessórios pessoais todos os dias

As regras do styling rezam que nunca se deve usar vários acessórios que combinem. Mas se um relógio, colar e pulseira da mesma linha é proibido, os acessórios de valor afetivo são fortemente recomendados.

“Use acessórios pessoais que possa repetir todos os dias, como um colar ou pulseiras que depois pode conjugar com outro acessório que combine com o conjunto do dia. Dá um toque de personalidade, elegância e delicadeza ao coordenado”, explica Gabriela Pinheiro.

Afinal, o estilo está mesmo nos detalhes e pormenores de um look. “Depois de termos escolhido a roupa e os acessórios, podemos experimentar um penteado um bocadinho diferente ou testar uma maquilhagem nova.”

9. Vista-se em cinco minutos (ou faça parecer)

“O segredo está na naturalidade”, promete a autora d’O Meu Livro de Estilo.

“Demasiadas composições parecem falsas. Pode até ter demorado várias horas a conseguir o look perfeito mas não pode demonstrar isso. Faça um esforço, mas guarde-o para si”. Deve estar perfeita mas parecer que se vestiu em cinco minutos e que tudo fluiu sem esforço.

Se não é uma especialista em combinações, não misture vários estilos de roupa e muito menos tecidos com brilho como sedas, cetins e cabedal. Prefira contrastar materiais tanto em brilho como em textura.

10. Enfrente sempre o espelho antes de sair de casa

“Olhe-se bem ao espelho e, se alguma coisa parecer a mais, tire e não fique na dúvida”, acrescenta Gabriela Pinheiro.

Uma atitude convincente é meio caminho andado para parecer bem vestida e exibir um ar confiante em relação ao que veste. “Não use roupa em que se sente totalmente desconfortável, como umas calças tão apertadas que não a deixam respirar, uma malha que pica ou uns sapatos que não lhe deixam dar dez passos seguidos. Estas peças incómodas vão notar-se durante o dia, e ter estilo é estar bem na sua pele.”

 

Leave a reply